Admiração por Maestro Lázaro, da Orquestra Infantojuvenil da Vila Prudente

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

DÊ A UM JOVEM UM INSTRUMENTO E ENSINE-O A TOCAR, e ele jamais pegará em armas. Esse é o lema que move o trabalho de Lázaro José de Oliveira, o Maestro Lázaro. Ele é o disciplinado e divertido regente da Orquestra Infantojuvenil da Vila Prudente. Uma pessoa que teve a própria vida guiada pela música e que há mais de 50 anos leva este dom aos meios mais inusitados.

A Orquestra Infantojuvenil da Vila Prudente nasceu há três anos no Centro da Criança e Adolescente Projeto Construindo o Futuro. O lugar oferece diversas atividades para as crianças que vivem na região, quase todas na comunidade da Avenida Anhaia Mello. Hoje, com 43 componentes, entre violinos, escaletas, flautas, violas e violoncelo, a orquestra tem um repertório de respeito.

Entre as crianças, a música preferida é o clássico Con Te Partirò. Mas elas tocam até modas dos anos 60 como Blue Moon. E estão sempre sob o olhar rígido do Maestro, que não deixa de desafiá-los e chamar atenção quando alguém foge do tom. “De vez em quando, dou aquela puxada de orelha, mas trato eles como se fossem meus filhos. Eles sabem que são meus filhos musicais”, explica.

A música insistiu

Lázaro hoje vive de música, mas talvez não fosse essa a intenção dele quando entrou, ainda jovem, para o seminário. Esteve lá por seis anos e ali entrou em contato com seus primeiros aprendizados musicais. Tanto ele quanto seus superiores, porém, logo perceberam que havia uma missão mais importante esperando por ele fora da instituição seminarista.

O próximo passo foi entrar na Força Aérea Brasileira e em seguida na Polícia Militar. Lá, o trabalho do Maestro continuou pela música: ele passou a reger corais, inclusive o coral do Palácio da Justiça, e assim ganhou grande prestígio.

24 horas por dia eu vivo por eles, estou pronto para eles. E eu acho que isso me dá muita força para a caminhada.

Histórias de transformação

A música trouxe leveza a toda trajetória. Há mais de dez anos, passou a ser convidado a reger orquestras infantojuvenis. Hoje, com a da Vila Prudente, são 5 orquestras espalhadas pela Zona Leste e a grande São Paulo, sendo 500 crianças e adolescentes. Como ele mesmo diz, “Quinhentos que eu não perco para as drogas.”. De fato, a música tem o dom de transformar.

Lázaro conta com alegria a história de Carlos, o Spala de sua orquestra, responsável pelo primeiro violino e quem transmite as orientações do maestro. Carlos chegou aos 13 anos em uma orquestra do mesmo modelo em Suzano, onde Lázaro vive. Hoje, casado e com filhos, Carlos toca todos os instrumentos, ensina crianças e acompanha o maestro por toda parte. “Ele vive de música, trabalha grudado no meu calcanhar”, brinca.

Amizade e companheirismo

Para Lázaro, o diálogo com as crianças é a parte mais fácil. “Eu tenho 75 anos e eu me identifico com elas”. Ele admira como elas lidam umas com as outras, sem intrigas, se ajudando, e até compartilhando partituras com os colegas que esqueceram de trazer seu material, se necessário. “Acho fantástico”, comenta.

Quando algum aluno ou aluna finalmente tem a chance de ganhar um instrumento dos pais, o telefone do Maestro toca com dúvidas e pedidos de conselhos, os quais são fornecidos sem o menor problema. “24 horas por dia eu vivo por eles, estou pronto para eles”, comenta. “E eu acho que isso me dá muita força para a caminhada.”.

Compartilhar.

Sobre o autor

Redação Anália

Moda, lazer, variedades e tudo sobre o Anália.

Deixe uma resposta