Quer conhecer a Turquia? Trouxemos um guia completo

157

Não é exagero dizer que a Turquia faz parte berço da civilização. Sua história milenar presenciou os primeiros assentamentos do homo sapiens na Terra. Para ter uma ideia de quanto tempo os humanos estão por lá, na cidade de Urfa, perto da fronteira com a Síria, o arqueólogo alemão Klaus Schmidt descobriu, em 1995, as ruínas de Göbekli Tepe, onde se acredita ser do primeiro templo já construído pelo homem. A idade da construção? 11 mil anos atrás.

Hoje, com 80 milhões de habitantes, a religião mulçumana continua sendo um dos pilares do país, tido como um dos mais progressistas entre os islâmicos. Então, por essas e outras peculiaridades tentaremos desvendar um pouco desse lindo país para você.

A cultural Istambul

Istambul, a porta de entrada para maioria dos turistas é a única cidade do mundo que está em dois continentes. Por conectar Europa e Ásia foi, nada mais nada menos, a capital de três poderosíssimos impérios: Bizantino, Romano e Otomano. Hoje, é palco de efervescência cultural, arquitetura impactante, bons restaurantes e de uma vida noturna agitada.

Ao viajar pela Turquia você pode observar a imponência do Palácio Topkapi e da igreja Hagia Sofia, além da Mesquita Azul. Conhecer praias coloridas com o turquesa do mar Egeu, provar novos sabores e sentir o cheiro das especiarias dominando o ambiente dos mercados.

Onde ir?

Onde comer na Turquia?

Uma parte da culinária da Turquia tem algumas semelhanças (e importantes diferenças) com a comida árabe que comemos aqui no Brasil. Ou seja, quando a fome bater fica fácil deliciar-se com a infinidade de kebabs, saborear o clássico döner (que lembra o nosso churrasquinho grego), salivar pelas berinjelas assadas karniyarik e imam bayildi e se deleitar com o hamsi pilavi, um delicioso prato que mistura arroz com anchovas.

Se a fome não for tanta, uma ótima sugestão são as mezes, as entradinhas turcas. Há uma infinidade de tipos e podem ser feitas com queijos como o tulum (de ovelha), cacik (molho de iogurte e pepinos), börek (uma espécie de pastel típico), charutinhos de folha de uva ou lakerda (fatias finas de atum defumado). Para molhar as palavras, experimente o raki (destilado de anis) ou um clássico chá turco.

Para os especialmente apaixonados por gastronomia conhecer Gaziantep é uma dica e tanto. A cidade entrou, em 2015, para a Rede de Cidades Criativas da Unesco, como polo gastronômico e tem 291 pratos registrados como oficiais.

Compras em Istambul

A pedida mais óbvia quando o assunto é compras em Istambul é o Grand Bazar. Para os experientes na arte de pechinchar, as 60 ruas e mais de 5 mil lojas são pura diversão. “Em geral, os vendedores não gostam que você aceite o primeiro preço que eles falam. Eles querem que você negocie”, relembra Simone.

Na construção de 1461, dá para encontrar todo o tipo de souvenirs: tapetes, joias em ouro, louças, artigos de decoração, tecidos e, claro, especiarias. Vale lembrar que o melhor lugar para encontrar aquele tempero especial é no Bazar de Especiarias (ou Mercado Egípcio) que tem uma profusão de condimentos, frutas secas e outras comidinhas turcas.

Não tão majestoso quanto o Grand Bazar, o Arasta Bazar é uma opção mais modesta e confortável no coração de Istambul. Construído no século 17, durante o Império Otomano, este mercado já pertenceu ao complexo do Palácio Bizantino. Hoje, as mais de 70 lojinhas ali instaladas são um convite e tanto a negociar. Para aproveitar o passeio, cabe uma passada no Museu do Mosaico, que fica embaixo do Bazar Arasta.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário
Insira seu nome