Ser networker é um estilo de vida. Alguns dizem que é coisa de interesseiro, outros que não funciona, e muitos não fazem a menor ideia do seu potencial. O fato é que, quando precisamos de algo, costumamos buscar por recomendações de alguém que tenha tido uma excelente experiência com um produto, uma empresa, um serviço ou um profissional. E adoramos recomendar algo que nos tenha proporcionado satisfação.

E não para por aí! O networking pode ajudar em uma variedade de ocasiões: oportunidades de trabalho, solidão empresarial, dificuldades de gestão, captação de informações relevantes e recursos financeiros, divulgação e fomento de negócios, prospecção, orientações e aconselhamento, colaboração, relacionamentos de amizade e amorosos.

O networking só faz bem, porque é sobre conhecer pessoas, se conectar com elas e criar vínculos genuínos, em que se possa ajudar e que possam lhe ajudar. Networking é uma questão de atitude! Positiva, inclusive, porque não basta participar de um evento, trocar meia dúzia de cartões e enviar alguns e-mails. É preciso investir tempo, ter disciplina, desenvolver habilidades e técnicas para aproveitar as oportunidades que surgem em qualquer dia, horário e ocasião.

É sobre ser solidário, gentil, espontâneo, proativo e útil. É estar cercado daqueles que compartilham do mesmo interesse em ajudar outras pessoas a resolverem seus problemas, sem esperar algo em troca. Assim, o processo acontece naturalmente. Quando for sua vez de ser ajudado, você será.

Tenha a certeza de que, de uma forma ou de outra, o networking é parte da sua vida.

Raquel Rodrigues

Coaching

Eu encontrei no networking um meio favorável e estruturado de realizar algo de valor a alguém, o que me proporciona muita satisfação. Quando posso fazer uma recomendação, é gratificante sentir que as três pontas ganham: quem pediu a indicação, quem indiquei e eu, por ter feito a conexão. Não há muito tempo, uma amiga minha estava aflita porque enviou um orçamento para seu cliente sem cotar com o fornecedor e percebeu que ia ter um grande prejuízo, além disso, tinha um prazo enxuto para produzir e não sabia se conseguiria atender. Ela me contou como um desabafo e lembrei que conhecia um outro fornecedor que poderia apoiá-la. Fiz a intermediação entre eles, que tocaram o projeto juntos e entregaram no prazo. Ela ainda teve um lucro adicional de R$ 1 mil Todos ficamos felizes.

Claro que o mesmo vale para mim. Quando quis voltar a fazer trilhas com mais frequência e conhecimento, faltavam as pessoas para me ajudar. Comecei a pesquisar sobre o assunto na internet para me conectar com quem poderia me auxiliar. Em uma postagem numa rede social, conheci um rapaz que me apresentou ao grupo do qual faço parte atualmente. Criamos laços de amizade e companheirismo que me surpreenderam.

Tenha a certeza de que, de uma forma ou de outra, o networking é parte da sua vida. Estar consciente, se dedicar um pouco para entender o outro, saber como pode colaborar, organizar sua agenda para rever quem não encontra há algum tempo e utilizar a tecnologia para se manter na lembrança das pessoas é o que faz a diferença. Frequente novos lugares, compartilhe interesses e esteja aberto a novos contatos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário
Insira seu nome